Blog

De colaborador a empreendedor: como se preparar para transição de carreira

Empreender por necessidade é bem comum atualmente. Geralmente são ex colaboradores de alguma empresa que buscam fazer algo novo, simplesmente porque não tem outra opção a partir da dificuldade de conseguir um emprego. A taxa de desemprego no país, segundo pesquisa realizada pelo IBGE, foi de 12,4% em junho de 2018, o que significa 13 milhões de pessoas desempregadas.

Por outro lado, existem também aqueles que empreendem por um sonho, por serem inquietos e sentirem a vontade de mudar alguma realidade. Em ambos os casos, a transição do mindset colaborador para empreendedor não é tarefa fácil. Por isso, é importante entender alguns pontos importantes antes de encarar a jornada empreendedora.

 

Gestão do tempo e atividades

Quando você trabalha em uma empresa, tem seu horário fixo e suas atividades pré-determinadas. Naturalmente, a sua rotina é criada a partir disso e você só precisa organizar seu tempo dentro daquele período que estará na empresa para realizar suas atividades daquele dia ou semana.

Já o empreendedor não tem horário, muito menos atividades fixas. Tem gente que pensa que o home office é a solução para os problemas, que pode trabalhar no horário que quiser e ser mais produtivo. Será? Se não houver disciplina e organização, o home office acaba sendo uma dor de cabeça para muitos empreendedores.

Em casa, você está muito vulnerável a qualquer distração, aquela gaveta que você sempre quis organizar, a roupa para lavar, a televisão disponível a qualquer momento, sem contar que culturalmente as pessoas tendem a não entender que você está de fato trabalhando, e que se você não fizer o seu trabalho, não existe uma equipe por trás que o fará.

Nesse caso, algumas dicas podem evitar distrações, principalmente naquele momento que você mais precisa de concentração, são elas:

  • Organize um espaço na sua casa que seja o seu “escritório oficial”. Isso não quer dizer que você não pode mudar e trabalhar de outros ambientes quando sentir vontade. Mas tenha sempre aquele cantinho organizado para o deep work.
  • Se você mora com outras pessoas, converse com elas e explique que precisa dos seus momentos sem interrupções para trabalhar. Avise quando estiver fazendo algo muito importante que não possa ser interrompido, a comunicação ajuda muito e mantém um bom relacionamento com aqueles que dividem o mesmo lar.
  • Preste atenção e entenda os horários que você “funciona” melhor para cada tipo de atividade. Cada um tem seu melhor horário do dia para concentração, e perceber o seu é essencial para definir sua rotina de atividades diárias. Você pode dividir a semana ou o dia por temas, por exemplo, fazendo atividades de relacionamento na segunda, marketing e vendas na terça, deep work na quarta, e assim por diante.
  • Use e abuse de ferramentas de gestão e organização. Desde o momento zero do seu negócio é importante documentar atividades, criar fluxos e organizar documentos. Uma sugestão de ferramenta gratuita é o Trello, que ajuda a organizar seu dia a dia. Se você possui uma conta Google, utilize a agenda para organizar sua semana e seus compromissos, além do Google Keeps para sempre anotar novas ideias, fazer listas compartilhadas, entre outras atividades que a aplicação permite.
  • Uma última dica que pode facilitar também é escolher um espaço de coworking mais próximo de você para trabalhar. Esses espaços são uma ótima opção tanto para ter seu momento de “trabalho oficial” fora de casa, como também para fazer muito networking e socializar. Hoje, até mesmo empresas menores estão aderindo a esses espaços por tudo que eles proporcionam, que vai além do espaço de trabalho. O BeerOrCoffee pode ser uma boa opção se você precisa trabalhar em mais de uma cidade ou quer revezar e explorar diversos espaços de coworking.

 

 

Não tente fazer tudo sozinho

Ser “eupreza” é complicado, principalmente se você já era acostumado a trabalhar com outras pessoas. Trabalhar sozinho tem seu lado positivo de você decidir tudo por conta própria, caminhar no seu ritmo, escolher quando e como fazer cada atividade. Mas pense naqueles momentos que você precisa de uma segunda opinião sobre algo, daquelas atividades burocráticas que você precisa desvendar como fazer, fora a solidão que muitas pessoas sentem ao ficarem horas trabalhando sozinhas.

Pois bem, ter um sócio ou parceiro para trabalhar torna seu dia a dia mais dinâmico, você pode dividir tarefas, responsabilidades e focar naquilo que mais tem habilidade para fazer. Nem sempre é fácil encontrar alguém que queira fazer parte do seu negócio, mas vamos novamente de dicas para esse momento:

  • Participe de eventos e fale sobre seu negócio para o maior número pessoas. Você vai descobrir que tem muita gente com vontade de empreender também e entrar nessa jornada com você. Os Encontros Dazideia podem ajudar nessa fase, tanto a divulgar seu negócio (inovador) ou mesmo encontrar futuros parceiros ou sócios. Confira aqui como aproveitar bem seu tempo quando for aos eventos.
  • Preste atenção nas características do sócio que está procurando. Não tente achar alguém igual a você, muito pelo contrário: busque um perfil complementar ao seu. Você vai perceber que novos olhares e pessoas que trazem outras perspectivas do negócio agregam bastante.
  • Busque alguém que compartilhe dos mesmos valores que você, não só relacionado ao trabalho, mas na vida como um todo. Entenda que perfis complementares é uma coisa, agrega e traz uma dinâmica interessante ao dia a dia, mas quando o assunto são valores, esses sim devem ser iguais para que não haja choques que possam acabar com a sociedade. Isso também é importante para criar a cultura que vocês querem para a empresa, algo que será visto não só por futuros colaboradores, mas também por clientes e parceiros.

 

Equilíbrio é tudo!

Muita gente enxerga o empreendedor como aquele que está disponível 24hrs por dia, 7 dias por semana, 365 dias no ano. Não é bem assim! Claro que quando o negócio é seu é natural que você queira responder qualquer demanda com agilidade e fazer com que o mesmo decole o mais rápido possível. Mas é preciso colocar limites para isso desde o começo. E o que seriam esses limites? Pode parecer clichê, mas muitos empreendedores deixam esses pontos de lado. Entenda:

  • Cuide da sua alimentação! É comum termos dois tipos de empreendedor: aquele que fica concentrado horas em uma atividade e simplesmente esquece de comer; e aquele que vai sempre passear na cozinha e come o tempo todo. Crie sua rotina e busque entender aqueles alimentos que mais te ajudam para determinadas atividades que for desenvolver. Existem diversas frutas, oleaginosas que ajudam a dar energia. Você não precisa viver só de café, ok?!
  • Outro ponto que ajuda a dar energia são os exercícios físicos. Tire nem que seja 1 horinha três vezes na semana para fazer uma atividade e manter sua saúde em dia. Isso vai ajudar na postura, a oxigenar as ideias e também na disposição.
  • Durma! Não adianta perder noites de sono trabalhando, pois isso só vai tirar sua energia e produtividade. Ficar trabalhando até tarde uma vez ou outra para não perder um cliente importante não tem problema. Basta cuidar para que isso não vire rotina. Se você precisa fazer isso com frequência é sinal de que deve buscar alguém para ajudar.
  • Você também precisa de lazer, tempo com família e amigos. Sempre insira na sua agenda aquele período de descontração. Além de fazer bem para você e manter as pessoas importantes por perto, ajuda a dar força e continuar. Organize para ter esses momentos ao longo da semana também. Afinal, agora você é dono da sua agenda e tudo bem se quiser ir ao cinema no meio da tarde em um dia de semana.

 

Esses tópicos são básicos para qualquer empreendedor de qualquer mercado. A preparação psicológica e organização para uma nova fase da carreira é essencial para que você possa focar no que é mais importante ao empreender: o seu negócio.

By | 2019-03-15T10:42:52+00:00 agosto 31st, 2018|Blog, Catalyst|0 Comentários

Sobre o Autor:

Empreendedora, especialista em gestão de processos e pessoas, com certificação em design thinking. Apaixonada por inovação, tem atuação em desenvolvimento de projetos inovadores, marketing, inteligência de mercado e gestão de verticais de negócios de base tecnológica. Hoje é cofundadora do Dazideia, comunidade catalisadora de inovação que conecta pessoas e ideias.
logo

Fique atualizado sobre as
novidades do Dazideia!