Blog

Seja versátil: saiba como estruturar diversos tipos de Pitch

Quando contamos para amigos ou familiares como funcionam os Encontros Dazideia, muitos ainda tem dúvida do que é um pitch. Normal! Principalmente para quem não está inserido no mercado de tecnologia e inovação, no qual o termo é muito utilizado. Mas, será que só empresas ou projetos dessa área deveriam saber como fazer um bom pitch? Na verdade, não! Todos nós fazemos pitch sobre algo com frequência, seja sobre a empresa onde trabalhamos, algum estudo que estamos desenvolvendo, e assim por diante.

 

No Dazideia, conceituamos pitch como uma apresentação clara e objetiva dos principais pontos do seu negócio com intenção de despertar interesse do espectador. Nesse post, explicamos o que é a ferramenta, e alguns pontos importantes para você montar sua apresentação.

 

Variáveis que mudam a estrutura dos tipos de pitch

 

Antes de falar mais sobre os diversos tipos de pitch que existem, é importante lembrar que o pitch pode variar de acordo com alguns fatores. São eles:

 

  • Audiência: é o público ao qual você irá fazer a apresentação, que pode ser uma reunião privada com investidores, ou um evento maior com espectadores de diversas áreas. Dependendo de qual seja sua audiência, é importante adaptar as informações que você irá apresentar, dando foco para pontos mais estratégicos para o seu público.

 

  • Estágio do projeto/empresa: se você está na fase inicial do seu projeto, em processo de validação do seu protótipo, por exemplo, é bem importante mostrar alguns dados da validação, como está sendo feita, etc. Já uma empresa constituída e que tem faturamento, é bacana mostrar as projeções de crescimento.

 

  • Mercado do projeto: alguns mercados contam com uma certa complexidade que, dependendo da audiência, vale a pena investir um pouco mais de tempo do seu pitch contextualizando o público. Busque conhecer muito bem o mercado no qual está inserido, pois isso pode fazer a diferença quando houver alguma pergunta mais específica. Fique sempre de olho em tudo que acontece!

 

Além desses pontos, outro que demanda muita atenção, e que vamos explorar mais neste post, é o tempo disponível para apresentação. Às vezes, você tem apenas 1 minuto para falar sobre a sua empresa, e precisa saber usar esse tempo ao seu favor e despertar o interesse, para que a sua audiência queira continuar a conversa depois e saber mais. Por isso, estar preparado para ajustar seu pitch de acordo com o tempo disponível é tarefa para todos.

 

Entenda quais os tipos de pitch mais comuns

 

  • Tweet Pitch (140 caracteres ou 3s): é basicamente o conceito da empresa/projeto em uma frase. O ideal é sinalizar o que faz e para quem. É uma frase de aproximadamente 3 segundos de fala, responsável pela primeira impressão sobre o seu negócio. Por exemplo, o youtube, no início, usou uma metáfora com outro modelo de negócio já existente para facilitar o entendimento do serviço e se posicionou como “flickr dos vídeos”. Mas, cuide para não banalizar algum modelo. Pois hoje, por exemplo, temos Uber de tudo, não é mesmo? 😉

 

  • Elevator Pitch (30s a 1min): esse modelo é o que mais ouvimos falar e é o mínimo que você deve ter na ponta da língua. O pitch de elevador (em tradução literal) é importante para você se apresentar em eventos, em momentos de networking, entre outros. Mas, o que é importante focar? Além de saber bem seu tweet pitch, aqui é possível incrementar falando um pouco sobre o problema que seu negócio resolve, como resolve, seu modelo de negócio e diferencial (se houver tempo). A ideia é falar de maneira objetiva, deixando um gostinho de “quero saber mais sobre!”.

 

  • Corredor/Café (2 a 5min): o pitch a partir de 2 minutos começa a criar mais corpo e detalhamento sobre seu produto/serviço. Além dos pontos mencionados no Elevator Pitch (problema, solução, modelo de negócio e diferencial), aqui você pode falar um pouco mais sobre o seu mercado, a equipe que compõe o negócio, e trabalhar, principalmente o início do pitch, para se conectar com a audiência, ou seja, um pouco de storytelling ajuda bastante. Se você tem 5 minutos, também é possível falar sobre seus resultados e concorrência. A parte financeira dependerá muito da audiência. Se estiver fazendo pitch para investidor, esse ponto é bem importante. Por isso, estude sempre a audiência ou a pessoa com quem você vai tomar o café, para saber em quais pontos focar.

 

  • Apresentação do Negócio (5 a 10min): quando chegamos no estágio de fazer uma apresentação de mais de 5 minutos, geralmente já é uma reunião mais focada. Por isso, tenha sempre, a partir desse pitch, toda e qualquer informação sobre seu negócio. Essas apresentações geralmente são usadas pela área comercial, ou quando você está estreitando relacionamento com um investidor. Dependendo, você vai esmiuçar o financeiro do seu negócio, como é a sua força de marketing e vendas, falar mais sobre o diferencial da sua equipe, quais os próximos passos que você pretende dar e como. Nesse link, você encontra os detalhes de cada tópico de um pitch de 10 minutos.

 

  • Sumário Executivo (15 a 20min): o sumário é o detalhe do detalhe do seu negócio, desde o mercado, modelo de negócio, planejamento, etc. É muito importante saber todos os detalhes do negócio, mesmo que você nunca faça uma apresentação de 15 minutos. Contudo, tendo todas as informações em mente, dificilmente você irá se deparar com uma pergunta surpresa e uma resposta “não sei dizer!”. O que também não é um problema se não souber responder alguma coisa, desde que você busque a informação e dê o retorno depois para a pessoa que te perguntou.

 

Assustado? Calma! Se você parar para pensar bem, saberá todas as respostas, ou ao menos como buscá-las para estruturar todos os tipos de pitch. O que não estamos acostumados é a estruturar nossas falas para que tenham uma sequência de informações que façam sentido e tenham fluidez, para que até mesmo leigos no assunto consigam entender o que você faz.

E qual o segredo para um bom pitch? Muito TREINO! Então, mãos à obra! 🙂

By | 2017-11-25T10:50:31+00:00 novembro 14th, 2017|Blog, Propulsor|0 Comentários

Sobre o Autor:

Apaixonada por inovação, busco sempre novos desafios para evolução pessoal e profissional. Convivo há cerca de 5 anos em ambientes que instigam a constante inovação, com atuação em inteligência de mercado e gestão de verticais de negócios tecnológicos, pude entender um pouco do ecossistema de diversos segmentos. Especialista em gestão de pessoas, adoro trabalhar em equipe colaborativamente. Cofundadora do Dazideia, encontro que conecta pessoas e ideias, oportunizando o compartilhamento de projetos inovadores.

Deixar Um Comentário

logo

Fique atualizado sobre as
novidades do Dazideia!