Dazideia
Conectando pessoas e ideias
Menu

Lidere para a Mudança com Gestão de Polaridades

Por: Guilherme Sarkis

Por quanto tempo você consegue ficar sem respirar? O espanhol Aleix Vendrell é o recordista mundial listado pelo Guinness, o livro dos recordes, com o tempo de 24 minutos e 03 segundos. Sem treinamento, uma pessoa comum consegue permanecer algo em torno de 2 a 3 minutos sem respirar. Se, em uma pergunta provocativa, eu pedisse para você escolher entre inspirar e expirar, qual você escolheria? Melhor ainda, como você escolheria? Você provavelmente faria uma lista das vantagens e desvantagens de um e outro, não? Tentaria tomar uma decisão ponderada. Quem sabe procuraria avaliar qual movimento te faz sentir melhor ou gera mais benefícios para seu corpo. Mas, a realidade é que ainda que você possa preferir um movimento ao outro, não é possível escolher apenas um. Os movimentos respiratórios são complementares e interdependentes. O equilíbrio entre eles é uma das evidências de um ser humano saudável e o desequilíbrio, o contrário.

A respiração é um imperativo da condição humana. E é também a demonstração de uma realidade comum a todos nós: a de que há pares de polaridades opostas, interdependentes e complementares entre as quais existe uma tensão dinâmica.Não é possível ignorar um elemento da polaridade sem prejudicar a ambos. E o equilíbrio permite extrair benefícios de ambos.

Por mais que a realidade das polaridades seja fácil de perceber na metáfora da respiração, há muitas outras ocorrências que acabamos por não perceber tão facilmente. Por exemplo, o equilíbrio entre vida pessoal e trabalho. A satisfação de necessidades individuais e coletivas. Dentro de empresas, o foco em relacionamentos e em resultados. A estabilidade e a mudança. Entre estes pares opostos há uma tensão dinâmica. 

A tensão dinâmica quer dizer que é preciso de ações constantes para manter o equilíbrio entre duas polaridades. Ou seja, não é um problema que se resolve com uma única ação, mas uma conversa constante. É como caminhar. Analisando qualquer momento da caminhada de forma separada, há um desequilíbrio. Mas, na combinação dos desequilíbrios há equilíbrio. 

No ambiente de toda organização há muitas polaridades em ação. Dos conflitos entre Estratégia e Cultura às tensões cotidianas entre o trabalho individual e o trabalho em equipe.

A Gestão de Polaridades oferece uma plataforma para lidar com os conflitos recorrentes causados pelas tensões dinâmicas no ambiente de trabalho ou na vida pessoal. Com a estrutura e o método da GP se pode estimular as conversas a partir de uma linguagem comum, que acolhe diferentes pontos de vista e aponta para um benefício comum. O foco no benefício do equilíbrio dinâmico faz com que que ninguém se sinta preterido e uma polaridade não seja favorecida em detrimento da outra. Pois, quando uma polaridade vence as duas perdem.

Em nosso mundo dinâmico e de mudanças cada vez mais aceleradas, a Gestão de Polaridades é uma competência essencial na liderança de equipes diversas e multiculturais. Os conflitos causados por diferenças de comportamento ou opinião, se bem gerenciados, funcionam como os pontos de desequilíbrio do equilíbrio dinâmico. A tensão entre eles permite não apenas o movimento, mas agilidade e velocidade na mudança. Tentar impedir ou abafar um dos lados desta relação é colocar em risco todo o movimento.

Quer iniciar um programa de Gestão de Polaridades em sua organização? Comece por criar a linguagem e estruturas que tornam o processo oportuno. Conheça mais sobre GP com o ebook que escrevi: http://guisarkis.com/project/gestao-de-polaridades/

Guilherme Sarkis é um educador e empreendedor que acredita no poder da empatia, da criatividade e do empreendedorismo para transformar positivamente pessoas e organizações.